Sessão de Encerramento

Encontro CTDI > Sessão de Encerramento
XV Encontro de CTDI

Sessão de Encerramento

Resumos do XV Encontro de CTDI

Remontar às origens do curso de CTDI, nomeadamente à fase de implementação de uma licenciatura bietápica pioneira na área da Ciência da Informação em Portugal, tem como objetivos assinalar etapas importantes dum curso de 1º ciclo que cresceu e que, apesar de desafios vários, os ultrapassou, adaptando-se e configurando a formação que oferece às exigências do presente.

Aqui são referidos vários aspetos que contribuíram para a garantia do funcionamento e sucesso deste curso de ensino politécnico que tem vindo a formar vários diplomados cada vez mais reconhecidos e valorizados no contexto profissional.  

Das políticas do ensino superior – e especificamente as do  politécnico – às  instalações modernas duma jovem Escola dotada de boas  infraestruturas,  do plano de curso à sua operacionalização,  da contratação de docentes à lecionação, da bibliografia à sua aquisição, das competências de gestão às competências pedagógicas, do contexto académico ao contexto profissional, da experiência letiva nacional aos intercâmbios internacionais – eis algumas das áreas que foram impulsionadas nas origens de CTDI e que contribuíram seguramente para a sua atual identidade. 

Um destaque especial para as pessoas – docentes e estudantes  – que formaram e foram formados, tendo em conta o lema do Saber mas também do Saber Fazer, como é apanágio do ensino politécnico. Após várias edições de licenciatura, os diplomados de CTDI foram sabendo impor-se, demonstraram a sua versatilidade, as suas competências várias e deram um contributo importante em variadas organizações públicas ou privadas, alargando o leque das saídas profissionais. Os nossos primeiros diplomados deram o pontapé de saída como profissionais da informação a trabalhar em diferentes contextos e, graças à qualidade da sua formação, contribuíram para dar mais visibilidade à profissão e ao curso que os formou.

A informação não é um signo, e sim uma relação estabelecida entre dois lugares, o primeiro, que se torna uma periferia, e o segundo, que se torna um centro, sob a condição de que entre os dois circule um veículo que denominamos muitas vezes forma, mas que, para insistir no seu aspecto material, eu chamo de inscrição.”(Bruno Latour)

Esta intervenção tem como objectivos reflectir sobre: a centralidade da mediação da informação e comunicação nos processos de desenvolvimento sustentável; como as dinâmicas de informação e comunicação se expressam na construção e disseminação de discursos de sustentabilidade; como estes discursos reforçam as relações de poder, conflito e/ou cooperação, referindo-se apenas à mudança nas técnicas de apropriação dos recursos, mas não a uma mudança nas relações sociais e institucionais, no pensamento sócio-económico e cultural e nos processos cognitivos existentes. 

Tais processos e dinâmicas podem e deverão ser escrutinados em contextos particulares de desenvolvimento sustentável aplicado a actividades concretas de actores sociais envolvidos nas ciências da informação e da comunicação na perspectiva pouco ortodoxa de que deve haver um mundo compartilhado visando um mundo comum (Bruno Latour, 2019).

Neste âmbito lato abordam-se as contribuições que a Teoria Actor-Rede (TAR) / Actor–network theory(ANT), ou sociologia da tradução, desenvolvida por Bruno Latour, John Law, Michel Callon, Madelaine Akrich e outros influentes cientistas sociais, em particular, a aproximação metodológica que a análise de Redes Sociais pode trazer, através de um diálogo com a Ciência da Informação. A partir da análise bibliográfica de obras dos autores da referida teoria (TAR/ANT) em expansão em diversos contextos empíricos, cuja revisão biblográfica entre nós se advoga, observam-se três aspectos em comum mantidos com a Ciência da Informação: os conceitos de modernidade, pós-modernidade e contemporaneidade, a noção de informação e a perspectiva social de atores-redes. Em consonância, sugere-se a promoção de estudos e trabalhos de investigação sob inspiração de Zygmunt Bauman (2008) e Bruno Latour (2001), entre outros autores dos Estudos Sociais das Ciências e das Técnicas, sobre a estrutura e dinâmicas do fluxo informacional em  determinados corpus (por ex. suplementos de jornais, reportagens, séries de crónicas, videos, etc.) a seleccionar a partir do enfoque nas noções de sustentabilidade e/ou construção de um mundo sustentável, a inquirir sob diversas questões na relação com a informação como inscriçao e a Ciência da Informação á luz do pensamento do antropólogo e sociólogo francês Bruno Latour.

XV Encontro de CTDI

Patrocinadores